sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

‘Quem ameaça parlamentar está cometendo crime contra democracia’, diz Mourão

BRASÍLIA — O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta sexta-feira que quem ameaça parlamentares está cometendo um crime contra a democracia. Nesta quinta-feira, o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) decidiu renunciar ao mandato e anunciou que deixou o país devido às ameaças que vem sofrendo.
— Quem ameaça parlamentar, está cometendo um crime contra a democracia. Uma das coisas mais importantes é ter sua opinião e ter a liberdade para expressar sua opinião. Os parlamentares estão ali, eleitos pelo voto, representam os cidadãos que votaram nele. Quer você goste, quer você não goste das ideias do cara, você ouve. Se gostou, bate palma. Se não gostou, paciência.

Ao comentar especificamente o caso de Jean Wyllys, no entanto, Mourão ressaltou que o deputado falou “de forma genérica” sobre as ameaças que sofreu, e que deveria explicá-las melhor. Jean diz que enviou os relatos para a Polícia Federal (PF) e para a Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA).


— Temos que aguardar quais são essas ameaças, porque ele falou de forma genérica. Quando a gente diz que está ameaçado, tem que dizer por quem, como. Vamos aguardar.

Questionado se o deputado tomou a decisão correta ao renunciar o mandato e deixar o país, Mourão disse que não tem como avaliar:

— Não estou na chuteira do Jean Wyllys. Ele que sabe qual é o grau de confusão que ele está metido.

Mourão se reuniu na manhã desta sexta com o presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto. Ele disse que os dois discutiram a passagem de Bolsonaro pelo Fórum Econômico Mundial de Davos, em Suíça.(OGlobo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO: Não serão aceitos comentários com teor ofensivo, difamatório ou contendo palavras de baixo calão.