segunda-feira, 8 de julho de 2019

O que há de novo no caso Najila e Neymar

Desde que a acusação de estupro da modelo Najila Trindade contra Neymar veio à tona no dia 1º de junho, uma sucessão de reviravoltas e revelações tornou o caso confuso e bastante polêmico. Nas últimas semanas, contudo, a poeira pareceu baixar e os nomes dos envolvidos já não aparecem com tanta frequência nos noticiários. O que não quer dizer que a história está encerrada. A seguir, reunimos alguns fatos ocorridos nos últimos dias envolvendo o caso:

Prazo curto
A Polícia Civil de São Paulo pediu na segunda-feira (1º) um aumento no prazo para concluir a investigação que apura a denúncia. Até o momento, os investigadores ainda não tiveram acesso às imagens das câmeras de segurança do hotel em Paris onde Neymar e Najila se encontraram. Fornecidas por autoridades francesas, as filmagens – que já estão no Brasil – só podem ser cedidas para averiguação com autorização judicial.
Também na segunda, o inquérito foi transferido para a Vara de Violência Doméstica de Santo Amaro, após a delegada responsável pelo caso concluir que havia uma relação íntima de afeto entre o jogador e a modelo.

Cancelamento
O leilão beneficente que leva o nome de Neymar e, a princípio, aconteceria no dia 10 de julho foi cancelado. Segundo a equipe do jogador, a razão do cancelamento está relacionada à Copa América – da qual Neymar não está participando – ter dominado as atenções. Contudo, foi apurado que a decisão de não realizar o leilão foi tomada por causa da denúncia de Najila, que teria atrapalhado a organização. Até o momento, uma nova data não foi marcada.

Celular na perícia
Ainda na segunda-feira (1), Najila pediu a uma prima que fosse buscar um celular que deixou com a polícia em seu segundo depoimento. Contudo, a tarefa não foi bem sucedida e, de acordo com a Polícia Civil, o aparelho só será devolvido para a própria Najila ou um de seus advogados, a menos que se apresente uma procuração registrada em cartório.
O celular passou recentemente por uma avaliação dos peritos, que tentaram recuperar dados existentes em outro aparelho utilizado pela modelo e que foi perdido durante o primeiro depoimento. Ele conteria gravações feitas por ela de uma conversa com Neymar no dia seguinte ao suposto estupro.
Também segundo os investigadores, o histórico de sumiço de aparelhos eletrônicos ligados ao caso contribuiu com a decisão. Desde o começo das investigações, além do telefone, um tablet desapareceu. (Revista Claudia)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO: Não serão aceitos comentários com teor ofensivo, difamatório ou contendo palavras de baixo calão.