segunda-feira, 29 de julho de 2019

Taperoá: População quer posicionamento de autoridades sobre denúncias contra Rosival Lopes

A população taperoense expõe revolta em alguns espaços e redes sociais sobre a gestão do prefeito Rosival Lopes (DEM) de Taperoá, no Baixo Sul baiano, isso porque denúncias de falhas apontadas como graves que foram apuradas e o prefeito punido pelo Tribunal de Contas dos Municípios, sequer foram investigadas pelos poderes legislativo e judiciário.

Outra situação que deixou o poder executivo em situação estreita é que após denúncia ao TCM, um galpão alugado à secretaria municipal da Educação, da prefeitura de Taperoá, pertencente à filha da secretária de Finanças, Maisa Brum, continua alugado e Claudia Verena Brum Brito fazendo recepção de valores e contrato com vencimento em janeiro de 2019. Situação que inclusive demonstra contrariedade a Lei Orgânica do Município, que não permite a contratação de parentes de prefeito, vice-prefeito e secretários, inclusive por um período quando finaliza o mandato do gestor.

346 mil em serviços de veículos?
Após recepção de denúncia, Livre apurou pagamentos feitos a uma empresa, com sede em Valença, que segundo pesquisa do CNPJ realiza como atividade principal comércio a varejo de pneumáticos e câmaras-de-ar. A empresa Figueiredo e Oliveira Comércio Ltda., recebeu da prefeitura de Taperoá R$346.979,82 somente este ano.

Como o site da transparência não permitiu a visualização do histórico de compra, após teste em dois computadores, ficou inviável descobrir no que tanto o prefeito Rosival Lopes e sua equipe investem já que além de pneus a empresa trabalha com acessórios de veículos, comércio do vestuário e acessórios, alinhamento e balanceamento de veículos, borracharia para veículos, material elétrico varejista e produtos saneantes.
Após analisar as subatividades da empresa, Livre consultou técnicos em veículos que disseram que independente da aquisição do serviço ou produto, se fossem voltados para pneus poderia se comprar o artigo para uma frota de 500 veículos, atualmente não mantida pela PMT.

Confira o extrato de pagamentos realizados desde o início do ano. Foto: Printscreen tela Portal do Cidadão.

Diárias 
Livre também consultou a quantidade, considerada por leitores exorbitante, de diárias que o prefeito adquiriu nestes 7 primeiros meses do ano. 35 diárias foram solicitadas (mais de 15% dos dias do ano até hoje) e pagas ao gestor, ou seja, durante 35 dias intercalados o prefeito viajou e ficou fora do município.
Livre segue investigando o histórico (que não abre no site da transparência da prefeitura de Taperoá), e deverá apresentar nos próximos dias dados sobre as supostas viagens do gestor a locais ainda não possíveis de acessar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO: Não serão aceitos comentários com teor ofensivo, difamatório ou contendo palavras de baixo calão.