quinta-feira, 9 de janeiro de 2020

Policiais paulistas denunciados por estupro em viatura são soltos e podem voltar ao trabalho

-Dois policiais denunciados por estupro em São Paulo foram soltos e podem retornar ao trabalho na Polícia Militar do estado. A reintegração dos agentes à corporação foi publicada no Diário Oficial no fim de dezembro, após um alvará de soltura concedido pela Justiça Militar.

Natália, de 19 anos, relatou ter pedido ajuda, em junho, aos PMs Anderson Silva da Conceição e Danilo de Freitas Silva para saber como chegar à Rodoviária de Praia Grande, no litoral paulista. 

Os agentes, então, teriam oferecido carona até o local onde a jovem queria chegar e um deles sentou no banco de trás com a vítima. Os policiais alegaram que ambos ficaram na parte da frente da viatura, mas um vídeo de câmera de segurança desmentiu a versão deles e mostra um dos homens sentando ao lado de Natália.


A jovem contou ainda que, ao entrar no carro, o policial que também estava no banco de trás começou a puxar seu cabelo para que ela o beijasse e, logo depois, a estuprou.

(Metro1)Policiais paulistas denunciados por estupro em viatura são soltos e podem voltar ao trabalho
Por Aline Souza -9 de janeiro de 2020 às 08:25038
-
Foto : Reprodução/TV Tribuna

Dois policiais denunciados por estupro em São Paulo foram soltos e podem retornar ao trabalho na Polícia Militar do estado. A reintegração dos agentes à corporação foi publicada no Diário Oficial no fim de dezembro, após um alvará de soltura concedido pela Justiça Militar.

Natália, de 19 anos, relatou ter pedido ajuda, em junho, aos PMs Anderson Silva da Conceição e Danilo de Freitas Silva para saber como chegar à Rodoviária de Praia Grande, no litoral paulista. 


Os agentes, então, teriam oferecido carona até o local onde a jovem queria chegar e um deles sentou no banco de trás com a vítima. Os policiais alegaram que ambos ficaram na parte da frente da viatura, mas um vídeo de câmera de segurança desmentiu a versão deles e mostra um dos homens sentando ao lado de Natália. 

A jovem contou ainda que, ao entrar no carro, o policial que também estava no banco de trás começou a puxar seu cabelo para que ela o beijasse e, logo depois, a estuprou.

(Metro1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO: Não serão aceitos comentários com teor ofensivo, difamatório ou contendo palavras de baixo calão.