terça-feira, 25 de fevereiro de 2020

Neto apela para Polícia Militar aumentar efetivo nas ruas

-O prefeito ACM Neto voltou a pedir que a Polícia Militar (PM) da Bahia, sob o comando do governo estadual, aumente a presença de policiais nos circuitos da festa. “Há uma percepção nossa de que poderia haver um efetivo maior nas ruas. Eu já fiz este apelo, inclusive pessoalmente e através da imprensa. Este apelo continua, nosso desejo é que haja um efetivo maior nas ruas, mas é uma decisão que não cabe ao prefeito. É uma decisão do governo do estado e cabe ao governador (Rui Costa) se pronunciar sobre isso”, disse durante uma entrevista no centro de imprensa da Prefeitura, no Campo Grande na tarde desta segunda-feira (dia 24).

Neto foi questionado por jornalistas a respeito de uma suposta redução no efetivo das forças de segurança estaduais, entretanto ressaltou que esta é uma resposta que cabe ao estado. “Eu não posso dizer que existe um menor efetivo policial nas ruas, porque quem tem que responder por isto é a própria polícia”, afirmou.


“Eu tenho a percepção de que poderia haver um efetivo maior do que estamos registrando nas ruas. Disse isso anteontem, disse isso ontem, que gostaria de contar com uma atuação mais ostensiva da polícia nas ruas”, completou o prefeito. “Eles mudaram a estratégia – essa estratégia é com o governador, com o comandante da polícia, com o secretário de segurança pública – mas eles mudaram. Você não vê mais aquelas patrulhas andando nos circuitos constantemente. Essa é a estratégia deles, eu não posso mandar na estratégia deles, eu sou prefeito, já respondo por muitas coisas”, completou.

Com a mudança na forma de atuação da PM nos circuitos do Carnaval, o prefeito disse que a Guarda Civil Municipal tem sido demandada a trabalhar em seu limite. “A Guarda Civil Municipal está com o seu efetivo completo nas ruas. Nós estamos com o limite máximo de homens nas ruas, mas não dá para comparar os efetivos, e não só isso, o poder de polícia não é da guarda, é da PM. Sem dúvidas, nosso pessoal está esgotado. Nunca trabalhamos tanto quanto este ano para garantir que da parte da prefeitura as coisas funcionem com toda a normalidade”, destacou.

Segundo o prefeito, o aumento na quantidade de pessoas nas ruas, sinalizado pelo comandante da PM, coronel Anselmo Brandão, traz um desafio real para o trabalho das forças de segurança. “É real, já falamos sobre isso”, disse. “Você vai perguntar, ‘prefeito, isso traz problemas?’ Sem dúvidas, ontem eu estava em Ondina e na Barra e, em determinado momento, mesmo com minha equipe ao meu lado, eu tinha dificuldade de andar, por falta de espaço, porque tinha muita gente”, disse.

Ambulantes

A imprensa também questionou o prefeito sobre uma declaração do secretário de Segurança Pública do estado, Maurício Barbosa, de que equipamentos utilizados pelos ambulantes, como isopor, estariam sendo trazendo dificuldades ao policiamento, por estreitar passagem dos foliões.

“Eu acho que o secretário já está aí há muito tempo. Pelo menos nos oito carnavais em que eu estou aqui como prefeito, ele já estava como secretário de segurança pública. Temos registros fotográficos dos carnavais anteriores, não há nenhuma mudança. Os ambulantes licenciados este ano são os mesmos dos anos anteriores, a disposição dos isopores este ano é a mesma”, garantiu.

“Eu não consigo entender porque este tipo de colocação está sendo feita neste momento. A Secretaria de Ordem Pública está trabalhando com muito empenho porque a pressão dos ambulantes, de um lado é muito grande, e do outro tem a necessidade de garantir o espaço nas ruas”, citou. “Honestamente, não entendo as colocações e não quero também elevar o tom neste momento para não gerar uma polêmica política”, disse.

Durante uma entrevista a um programa de TV, Maurício Barbosa, afirmou que as brigas e confusões registradas na Barra-Ondina tem relação com o aumento do número de vendedores ambulantes, que estariam criando “barreiras de isopores”. Além disso, parte dos equipamentos utilizados pelos trabalhadores informais estariam sendo utilizados como armas, afirmou o secretário estadual. “As entregas dos kits com sombreiros trouxeram uma atenção maior, porque estão sendo usados como armas”, disse Barbosa.

“No gramado de Ondina, vimos fila tripla de isopor. Quando passam as grandes atrações, tem um confinamento maior do público e a chance de ter uma lesão corporal é muito alta”, explica.

PM diz que intensificou atuação junto a trios no circuito Barra-Ondina
O comando geral da Polícia Militar da Bahia anunciou nesta segunda-feira (24) uma mudança de postura com relação ao policiamento realizado no Circuito Dodô (Barra-Ondina).

Ao contrário do que vem fazendo em outros locais, desde o início do Carnaval, com os PMs se mantendo mais afastados e em observação, o policiamento junto aos trios no circuito Dodô passou a ser junto aos trios e cordeiros, no contrafluxo dos foliões.

“A Polícia Militar sempre teve uma atuação bem ostensiva e presente no Carnaval de Salvador. Neste ano, houve um ajuste operacional para que os policiais evitassem o contrafluxo e o posicionamento nas cordas, de forma a liberar mais espaço para o folião brincar nas ruas dos circuitos”, disse o comandante geral da PM, coronel Anselmo Brandão.

Mas “diante do aumento do número de pessoas que confluiu para o circuito Dodô (Barra-Ondina), o policiamento foi intensificado e as patrulhas seguem acompanhando os trios nesse local”, completou o comandante. (Correio24h)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO: Não serão aceitos comentários com teor ofensivo, difamatório ou contendo palavras de baixo calão.