quarta-feira, 22 de abril de 2020

Coronavírus: ministro denuncia OMS e suposto ‘plano comunista’ para se aproveitar de crise

-O chanceler Ernesto Araújo publicou, na madrugada de hoje (22), um texto em suas redes sociais, no qual denuncia suposto “plano comunista” para se aproveitar da crise gerada pela pandemia do novo coronavírus.

“O vírus aparece, de fato, como imensa oportunidade para acelerar o projeto globalista. Este já se vinha executando por meio do climatismo ou alarmismo climático, da ideologia de gênero, do dogmatismo politicamente correto, do imigracionismo, do racialismo ou reorganização da sociedade pelo princípio da raça, do antinacionalismo, do cientificismo. São instrumentos eficientes, mas a pandemia, colocando indivíduos e sociedades diante do pânico da morte iminente, representa a exponencialização de todos eles”, escreveu ele.


O ministro das Relações Exteriores ainda batizou o suposto plano de “Comunavírus” e acusou a Organização Mundial da Saúde (OMS) de fazer parte do projeto. “Precisamos lutar contra o coronavírus, mas também contra o Comunavírus, que tenta aproveitar a oportunidade destrutiva aberta pelo primeiro, um parasita do parasita […] Um primeiro e vago modelo de uma tal coordenação na escala global é representado pela OMS. Transferir poderes nacionais à OMS, sob o pretexto (jamais comprovado!) de que um organismo internacional centralizado é mais eficiente para lidar com os problemas do que os países agindo individualmente, é apenas o primeiro passo na construção da solidariedade comunista planetária”, completou Ernesto Araújo. (Metro1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO: Não serão aceitos comentários com teor ofensivo, difamatório ou contendo palavras de baixo calão.