quinta-feira, 16 de abril de 2020

Participante evangélica do BBB vira chacota por reprovar idas ao motel

O BBB 20 vem atraindo a audiência de evangélicos por conta dos participantes que se declararam fiéis dessa tradição cristã no começo do programa. No último sábado, porém, uma das mais polêmicas integrantes do reality show se abriu a respeito de sua fé e disse que sexo é entre homem e mulher.

A modelo Ivy Moraes, 27 anos, declarou que é evangélica e que suas referências na área da sexualidade são bastante conservadoras, rejeitando a ideia de frequentar motéis ou até mesmo de praticar sexo anal, embora este segundo não esteja necessariamente associado a um dogma de fé.

De acordo com informações do portal TV Foco, Ivy se estabeleceu como uma das mais polêmicas participantes do programa, e ocupou a liderança na última semana. Enquanto conversava com as colegas de BBB Mari Gonzalez e Gizelly no “quarto do líder”, falou sobre sua fé.


A deixa para o assunto foi uma declaração de Mari Gonzalez sobre o clima no local de festas do BBB, que segundo ela teria “energias pesadas”. Diante disso, Ivy aproveitou para dizer que não frequenta motéis por esse mesmo motivo, e que o alerta foi dado a ela por seu pastor.

“Não tem energia boa esse trem”, disse a modelo. “Você deita na cama em que horas atrás estava tendo um trem ruim. Não é pra ir no motel, não tem energia boa esse trem”, reiterou, acrescentando que “quando você para pra pensar no que ele falou, faz sentido” já que abusos como estupros, pedofilia e orgias costumam ocorrer nesses estabelecimentos.

Ao falar de orgia como algo negativo, Ivy despertou a atenção das colegas, e Gizelly questionou se evangélicos consideram a prática de sexo em grupo como um pecado. Ivy foi bastante objetiva: “A minha religião, que eu sigo, a evangélica não aceita”, disse, pontuando que o sexo deve ocorrer entre duas pessoas: “É tipo assim, marido e mulher”.

Com a ênfase que a modelo deu sobre a relação sexual pregada pela Bíblia, que deve ocorrer dentro do casamento, sendo entre um homem e uma mulher, indica que essa é uma doutrina de aceitação ampla dentro do segmento evangélico.

O assunto se estendeu e abordou questões como masturbação e sexo anal, e a modelo mineira negou que praticasse qualquer um dos dois, o que levou as colegas a reprovarem sua postura “careta”. Mesmo assim, Ivy sustentou: “Não sou de fazer essas coisas, não”.ANÚNCIO

Conforme a conversa avançava, Mari falou sobre massagem tântrica e tentou argumentar de que não se tratava de prática sexual. “Ela está achando que é fazer sexo, real! Não tem penetração”, disse a ex-Panicat. No entanto, Ivy rebateu: “Se você está tendo orgasmo, é uma coisa sexual. Imagina no meio das pernas… eu não tenho estrutura, eu caio dura, eu desmaio. Não nasci para isso, não. Não tenho fetiche nenhum nisso. Respeito quem gosta”, encerrou a modelo evangélica.

por Tiago Chagas / Gospel +

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO: Não serão aceitos comentários com teor ofensivo, difamatório ou contendo palavras de baixo calão.