segunda-feira, 14 de setembro de 2020

Acusado de matar empresário, Iuri Sheik deixa penitenciária: ‘Deus é comigo’


O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), por meio do desembargador Eserval Rocha, acatou pedido da defesa e revogou a prisão de Iuri Sheik, mesmo após manifestação contrária do Ministério Público da Bahia (MP-BA). A decisão acontece dias após o juiz Antonio Santana Lopes Filho, da 1ª Vara Criminal de Santo Antônio de Jesus, negar pedido idêntico.

A previsão é de que Iuri Sheik seja liberado ainda na manhã desta segunda-feira (14). Ele é acusado de assassinar William de Oliveira (relembre aqui), em 26 de junho de 2019, e está custodiado na Cadeia Pública de Salvador.

No mês passado, o promotor João Manoel Santana Rodrigues, do Ministério Público da Bahia (MP-BA), se manifestou pela manutenção da prisão preventiva do empresário Iuri Sheik, no âmbito do pedido de revogação feito pelos advogados..

A solicitação de revogação da prisão foi feita pela defesa dele, em maio deste ano, alegando que o réu já estava há mais de 435 dias em privação de liberdade, além de ter doenças que o colocariam no grupo de risco da Covid-19.

Os advogados de Iuri afirmaram, ainda, que ele tem sido vítima de “nítido constrangimento ilegal”, uma vez que as audiências de instrução no âmbito do processo têm sido remarcadas constantemente.

Apesar da soltura nesta segunda, na última sexta-feira (11), o juiz Antonio Santana Lopes Filho negou a revogação da prisão preventiva de Iuri, em decisão que acolheu na íntegra o parecer o MP-BA. Para o magistrado, “o requerente contesta o decreto de prisão, mas não alega e nem prova o advento de fundamento fático ou jurídico que justifique a revogação da prisão preventiva”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO: Não serão aceitos comentários com teor ofensivo, difamatório ou contendo palavras de baixo calão.