domingo, 4 de outubro de 2020

O que é o pó branco usado por atores para simular cocaína em filmes?



Nos anos 1980, leite em pó e o bicarbonato de sódio eram muito usados. Hoje, a alternativa mais comum em Hollywood é um pó de vitamina B chamado inositol – que, por coincidência, também dá um aumento na energia. Fermento, farinha de trigo e açúcar de confeiteiro são outras opções (todas um bocado incômodas).

A saída menos desagradável – nenhuma delas é exatamente gostosa – é inalar soro fisiológico em pó. Uma gama desses produtos costuma ser oferecida aos atores com antecedência para que eles experimentem e avaliem como se sentem com cada substância.

A droga fake já deu o que falar nos sets de cinema. Al Pacino, por exemplo, já declarou que inalar o pó alternativo em Scarface (1983) prejudicou suas vias nasais pelos anos seguintes. No filme O Lutador (2008), Mickey Rourke também teve um leve surto após descobrir que havia aspirado inositol. O ator tinha alguns problemas de ansiedade e temia que a vitamina pudesse ser um gatilho.

Nem só de cocaína vivem os lobos de Wall Street e Krusties: muitas drogas legais e ilegais precisam ser simuladas no set. O vinho é suco de uva. Uísque é água com chá-mate – na quantidade certa para obter a tonalidade. O champanhe é água com gás e guaraná. Os cigarros de atores não fumantes são feitos dos mesmos invólucros dos cigarros comuns, mas recheados com artemísia e camomila, ou, para uma versão mais tosca, alface.

Por fim, remédios em cápsula são só a cápsula, vazia. Balinhas viram comprimidos. Às vezes, encomendam-se placebos em farmácias de manipulação. Também existem profissionais especializados em criar em esses itens falsos, chamados “aderecistas” (da palavra “adereço”). 

Fonte: Ana Rita Bueno, diretora de arte / Superinteressante – Carolina Fioratti

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO: Não serão aceitos comentários com teor ofensivo, difamatório ou contendo palavras de baixo calão.