terça-feira, 29 de dezembro de 2020

Salvador Shopping: jovens negros são expulsos com truculência por seguranças do estabelecimento



Dois jovens negros foram retirados a força do Salvador Shopping por seguranças do estabelecimento por volta das 17h55 desta segunda-feira (28), no terceiro piso do local. Ambos foram alvo de uma abordagem violenta. Segundo testemunhas, um deles recebeu um mata-leão e foi arrastado por dois funcionários do centro de compras enquanto gritava por socorro.

Segundo pessoas presentes no local, os jovens aparentavam ter entre 12 e 16 anos. Os dois foram levados para os corredores internos do shopping pelos seguranças, onde outra funcionária fazia a guarda na porta para impedir a entrada quem acompanhava a situação.

Os meninos foram levados para a polícia, um deles foi liberado e outro encaminhado para a delegacia para prestar esclarecimentos por possuir uma reclamação de violência no shopping em seu nome, informou um casal que pôde acompanhar o processo de expulsão dos jovens do local. Uma testemunha que não quis se identificar afirmou que o menino foi levado em uma viatura da Polícia Militar, mas os outros presentes não souberam confirmar a informação.

“O casal nos contou que os meninos não estavam machucados, que eles estavam bem. Disseram que a abordagem policial manteve distância, conferiram o bolso deles, mas não de forma truculenta. Eles não tinham sinais de violência aparentes”, contou a estudante Júlia Magalhães, 23 anos, que acompanhou o desenrolar dos fatos.

Um dos meninos reagiu de forma mais dura à abordagem gritando muito e tentando fugir dos seguranças, ele, inclusive, caiu no chão, segundo testemunhas. Os funcionários responderam com mais brutalidade, afirmaram os presentes, que contaram ainda que o outro jovem estava mais calmo. Ambos tentaram, de alguma forma, não ser levados pelos agentes de segurança.

Cerca de seis pessoas esperaram no shopping até o final da expulsão para garantir que os jovens não seriam machucados e cobrar uma resposta do estabelecimento sobre a brutalidade da atuação dos seguranças. O grupo não prestou queixas na polícia nem abriu uma reclamação no Salvador Shopping sobre o caso.

“Fiquei preocupada vendo essa situação de violência e racismo, por isso, fiquei esperando com outras pessoas para saber como estavam os meninos. Pedimos para ver eles na sala, mas os seguranças barraram a entrada. Depois de um tempo, um casal foi liberado para acompanhar a entrega dos meninos para a polícia”, relembrou Júlia.

Outra testemunha que não quis se identificar contou que o casal não acompanhou a ação por inteiro, só tendo acesso aos jovens mais para o final da retirada forçada. 

Aos presentes, o Salvador Shopping afirmou que a ação era necessária porque os meninos se recusaram a deixar o estabelecimento. O CORREIO procurou o centro de compras e aguarda um posicionamento.

Para uma das testemunhas, um outro segurança contou que os meninos ameaçavam clientes do shopping enquanto vendiam revistas e outros objetos dentro do centro comercial. “Me disseram que eles abordavam os clientes e xingavam os que não compravam as coisas que eles vendiam. Mas nada justifica a forma como eles agiram”, relatou a testemunha.

Dois funcionários do shopping que acompanharam a ação relataram que os meninos já tinham sido vistos no local e que outras situações parecidas já tinham ocorrido por lá.

(Correio)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO: Não serão aceitos comentários com teor ofensivo, difamatório ou contendo palavras de baixo calão.